Minha novela...

Vou contar a minha história para vocês verem que todas nós (ou a grande maioria... rsrsrsrs) passamos pelas mesmas angústias e tensões... 



Decidi ser au pair quando eu tinha 18 anos e não havia passado no vestibular. Na época, eu não tinha grana para bancar o programa, mas me encaixava muito bem nas exigências, menos em uma: eu não tinha carteira de motorista. Eu não sabia nem dirigir. Meu pai não dava lá muito apoio ao intercâmbio e eu resolvi deixar o projeto de lado. Já que não conseguia passar na UnB (minha única opção), resolvi trabalhar. Arrumei um emprego de auxiliar de biblioteca em uma escola infantil (mal sabia eu que isso me daria mais horas do que eu precisava) e passei em uma seleção para bolsistas em uma escola de dança de salão. Pronto! Estava eu levando a vida, quando um lhyndo dia, uma amiga me diz: "Vou fazer intercâmbio na Austrália". Que feeeera! Austrália. Opa, será que não é uma boa hora para resgatar aquele projeto de ser au pair? Avaliei tudo e comecei a pesquisar. Au pair para os States era bem mais a minha praia. Bom, mas faltava a carteira, certo? Juntei grana e tirei a carteira em dezembro de 2005. Dei entrada no dossiê em janeiro/06, fiz match 2 semanas depois e embarquei em março. Foi muito, muito rápido! A primeira família que viu meu appli. fechou comigo. Eu era da CC e, na época, tínhamos que montar uma página de fotos. Acho que hoje ainda é assim, né? Eu fiz tudo a mão. [Na verdade, essa é outra dica. Bom, você vai cuidar de kids, então "arte" deve ser levada em consideração. Recorte, cole, pinte, rabisquei e mostre que você pode fazer esse tipo de coisa - arts and crafts- com as kids quando chegar lá.] Como fiz tudo à mão, eles não conseguiram digitalizar (nunca soube porque) e mandaram os originais para a minha host. Ela amou! Disse que queria que eu fosse morar com ela logo... rs... mas ainda tinha o visto, né? Eu tirei cópia de todo o meu dossiê antes de enviá-lo. Olhem aqui fotos da minha página de fotos. Eu sei que a foto não tá lá essas coisas, mas... As estrelas eu fiz de EVA. Elas eram em alto-relevo. Depois cobri quase tudo com cola colorida glittler transparente e fiz legendas em pedaços de papel azul com canetinha preta. Eu lembro de ficar toda chorosa quando as estrelas saiam tortas... Hahahahaha... Bom, eu sabia que ela tinha gostado de mim porque a agência me avisou. Foi tipo assim: a família fechou comigo, mas eu não fechei com a família... rsrsrs.. Eles avisaram para a agência "é ela" e nem falaram comigo. Eu disse que só iria se eles me ligassem. Lembro como se fosse hoje... Eu estava na sala, vendo tv, quando o telefone tocou e era a Katie. A gente conversou por 5 horas e era como se já nos conhecêssemos. Eu só sabia o nome deles, a profissão e que gostavam de viajar (era tudo que havia no dossiê). Não tinha nem foto. Esperei ela enviar umas fotos no mesmo dia, e respondi o e-mail dizendo que iria morar com eles. [Sou louca!] Nem fiz todas as perguntas. Me joguei! E não me arrependi. Bom, sai do Brasil dia 26/3/06 diretinho para Newark [eu lembro de olhar a etiqueta na mala no aeroporto e dizer para a moça no balcão: "É New York!".. e ela:"Não, querida. Você vai voar para Newark"... "lascou-se", pensei!].. Em Washington, ficamos presas na alfândega e perdemos o vôo. Eu e mais quatro meninas. Esperamos umas 4h até o próximo vôo (quem perder o vôo não entre em desespero! Vá até a companhia que, se for problema na alfândega, eles te recolocam sem custo adicional) e acabamos perdendo a primeira van para o treinamento. Lembro que chegamos lá no finalzinho da tarde. E eu ainda tive forças para sair e explorar o lugar. É lindo demais. 



O treinamento da CC é (era) em Long Island- NY, na beira da praia, em um prédio de uma antiga universidade. 
[Vamos dar um salto no tempo, né?Ou vou narrar todos os meus dias aqui...rsrs..] Fiquei com essa minha família de NJ por 1 ano. Eram três kids (1,3 e 9), eu tabalhava das 9h às 17h, meus dias livres eram seg e terça (não tinha ninguém para hang out) e, às vezes, os primos dos meus kids estavam lá em casa também. Assim: seis kids! Eu viajei com eles para muitos lugares e eles me tratavam como parte da família. Todos eles... Meus kids e os primos também! Eu fazia de tudo um pouco na casa para ajudar, e todas as amigas que me visitavam, diziam que eu era louca. Mas eu gostava deles [correção: eu gosto deles] e até pedi para que trocassem meu visto para estudante, mas eles não podiam. Eles precisavam de alguém que não fosse estudar tantas horas, pois precisavam de alguém para deixar o baby. E então resolvi passar meu segundo ano conhecendo a outra costa, o outro lado do pais. Contei para eles a minha decisão e eles me apoiaram. O sonho da Katie era morar na CA. Eu fiquei online, mas fiz a minha busca no GAP também. A agência me mandou para uma família que falava português e eu não quis. A mãe era psicóloga e eles me deixaram nervosos com tantas perguntas no dia da entrevista. Depois me mandaram para uma família com 7 filhos em NY, mas eu não me senti à vontade dormindo "numa área reservada" com os outros empregados. Por fim, uma família do GAP estava online quando eu os add e falou comigo na mesma hora. Eles foram gentis e fizeram todas as perguntas de sempre. Eles também era da CC e isso foi um alívio. No dia seguinte, eles ligaram para a minha host em NJ e pediram referências. E eu falei com a ex- au pair deles também. Embarquei dia 26/03/07 para a CA e, dessa vez, eu chorava baldes. Me adaptei a Califa rapidamente. Claro que no começo foi bem complicado. A ex au pair, alemã, era muito amada. Imaginem! Foi um sufoco fazer as kids gostarem de mim! Rsrsrs.. Mas consegui. Lá na Califa eu fiz váááários amigos queridos e cresci demais como pessoa. A minha hostfam era super querida. Eu também me sentia em casa lá. Pedi para eles trocarem meu visto no 3 ano, mas eles não podiam, pelo mesmo motivo da familia de NJ. Quando eu contei isso para a familia de NJ, eles disseram que trocariam meu visto então. Marcamos de nos encontrarmos na FL nas minhas férias. Eles me deram a passagem e tudo. Só para matarmos as saudades... Isso seria no final de outubro. Bom, mas nem tudo está sob nosso controle e naquele mesmo mês, eu sofri um acidente de carro. Eu fraturei a coluna e, depois de 20 dias organizando tudo, eu voltei para o Brasil. Faltavam 3 meses para o meu segundo ano acabar. Não voltei como gostaria, mas estava bem viva... Vivinha da Silva!! Fiquei 3 meses em recuperação e acabei prestando vestibular para a UnB e passando!! Eu curso Letras- Português do Brasil como Segunda Língua, a única graduação nessa área do Brasil, e nós, de PBSL, podemos dar aulas para surdos, índios, estrangeiros (meu público) ou brasileiros (meu público também). Assim que eu me formar (logo, logo), eu vou... eu vou.. eu não sei ainda!! Hahaha... Durante os quatro anos que estudos -entre férias, trabalho e greves- eu fui a NJ 2X (ou foram 3?) passar sempre 2 meses com a minha primeira hostfamily. Eu falo com eles toda semana e tenho um carinho gigante por todos os integrantes da família. As minhas kids estão gigantes. O Ethan está bem mais alto do que eu! Bom, a família da CA eu ainda não vi... Eu estou esperando para poder voar para lá com mais tempo e com o coração mais tranquilo. Sabe o sentimento que ficou quando vim embora é bem diferente... Gosto demais da família, claro! Mas ainda não estou pronta para visitar a Califa. Quem sabe esse ano!! 



2 comentários:

Eveline disse...

Q história hein! então tás no Brasil e eu pensando q estavas lá. Bjo p tu gata amo teus posts.

Tamires Rocha disse...

que historia! mas q bom q cm um otimo desfecho :D