A Festa Acabou

O tempo vai passar voando... E quando você abrir os olhos, o primeiro ano já era! Então fica o segundo, ué! Tá gostando, quer ficar... fique! Essas são as dúvidas mais comuns no 2 ano:

Trocar de Família.... Lá pelo 8 mês, você receberá uma cartinha te perguntando se você quer ficar mais um ano ou se quer voltar para casa. E ainda, se for ficar mais um ano, se quer ficar com a sua atual familia ou se quer migrar. Bom, você terá poucos dias para pensar e pagar a taxa do 2 ano (na minha época não havia taxa, por isso não sei o valor exato... mas acho que fica na casa dos U$ 200). Bom, se você decidir por ficar OU NÃO com a sua family, terá que conversar com eles e ser sincera, né? O quanto antes melhor? Bom, nem tanto... Não acho que você deva falar que quer outra familia antes do seu último mês. Algumas famílias podem não gostar e começar a tratar a au pair de maneira diferente. Eu avisei em janeiro e fui embora em março. Arrumei a segunda fam pelo GAP, depois de falar com umas 4 da agência e de não ter gostado de nenhuma das quatro. A minha host fam me ajudou muito na transição. Falou com a nova família, me aconselhou e foram legais até o final. No dia que foram me levar no aeroporto, foi um chororô só. Nem gosto de lembrar. Mas o importante aqui foi a sinceridade. Eu disse que queria mudar de familia porque queria conhecer o outro lado do país (sai de NJ para a CA), mas que os amava e que sentiria saudades. Hoje somos amigos (já fui visitá-los duas vezes) e a minha host tem um blog que está linkado aqui também: o  Hunger Travels. Ela faz trabalho voluntário e se ela passar pela sua cidade, você poderá conhecê-la e dar uma mão, se quiser!

A Passagem.... a agência providenciará para você. Não se preocupe. Mas saiba que: te comprarão a passagem mais barata e a viagem será longa. Geralmente com escalas sem fim. Eu sai de NJ às 9h e cheguei na CA às 22h (sem malas). Ou seja: 5h da tarde horário de NJ. Cansada, com o ouvido estourado e confusa. As minhas malas chegaram 24h depois. Amém! 

Nova Adaptação... não será fácil, mas acho que não precisa ficar com medo. Nova casa, nova família, novos lugares e novos horários e costumes/regras. Com umas 4 semanas, você já terá se acostumado (a verdade é que eu levei uns 2 meses para me adaptar à Califórnia). A vida era muito mais agitada do que eu estava acostumada e as kids exigiam muito mais de mim... Mas, ué, quem está na chuva é para se molhar e depois da tempestade veio a bonança... É só conferir meus posts daquele tempo. Ahhh lembre-se de uma coisa. Tive um professor da China que me disse que o "sentimento de choque cultural", só acontecerá de forma brusca uma única vez. Depois disso, seu cérebro tomará notas das coisas novas e te lembrará das novas regras... É uma questão de tempo!

Acabou o segundo ano também? Então é hora de juntar a bagunça e voltar para o Brasil, ótimo! Faça isso de coração aberto e cabeça erguida. Afinal, você superou seus medos e dúvidas e ficou mais de um ano fora! Existem várias maneiras de dar "tchau" ao país do Mickey Mouse. 

Comece arrumando a sua mala. Bom, separe tudo o que você conseguiu acumular durante esse tempo inteiro (e, acredite, serão muitas coisas), fazendo três pilhas: vou levar para o Brasil, vou doar e vou vender!! As doações são as coisas que você sabe que serão úteis para alguém, mas que nem vale a pena tentar vender: manuais do college, da cidade, de trânsito... livros, plantas e por aí... As vendas são de coisas que você comprou e não te servem mais, exmplo: calças do primeiro ano, blusinhas ou sapatos que você não quer trazer! Tire foto dos itens que serão vendidos e dos que serão doados e repasse (pelo FB ou e-mail) para as suas amigas locais! Tudo que você trará com você deve ser agora divido entre as suas malas para que nenhuma tenha mais do que o peso permitido. Você precisará consultar a companhia aérea para se informar do peso. Geralmente são duas malas de 32kg (grandes) + mochila+ carry on. Como você ficou dois meses na Terra dos Outlets será quase impossível trazer tudo apenas em 4 volumes. Sugestão: não traga uma 3 mala grande. Traga uma caixa de 29'. Mesmo tamanho, mas cabe bem mais coisas. Foi o que eu fiz. Comprei uma caixa de 29', forrei o fundo com cartolina, passei fica tape em todos os lados e embaixo (claro), escrevi "CUIDADO FRÁGIL", "ESTE LADO PARA CIMA"  e coloquei meu endereço e tel do Brasil. Prontinho. Esse pacotão aí foi U$ 100 Obamas. (o preço de uma mala extra). O valor varia de companhia para companhia... melhor ligar e se informar. 

Tá voltando com muitos eletrônicos, hein? Recorra a tal "declaração de residência". Ela pode ser solicitada pessoalmente ou pelo site do consulado brasileiro. Você precisará:
#cópia da sua passagem de volta;
#cópia do DS e do passaporte; 
#os formulários impressos e preenchidos (disponíveis no site --> atestados);
#E pagar uma taxa de +/-U$ 20 no USPS (money order)
Eu não usei essa carta. Vim na cara e na coragem mesmo e não fui parada. Ufa! hahaha.. Não conheço ninguém que tenha precisado usá-la... mas é sempre bom garantir o feijão, né? Sabe como é que é... 

Tem muita menina que fica estressada e preocupada com mais do que apenas a viagem de volta... Elas se preocupam também com as mudanças que o corpo delas sofreu..Mas, na minha humilde opinião, não se preocupe com os "kilinhos" que você ganhou. Quando você voltar a sua vida normal, seu corpo irá reconhecer a dieta brazuca e se estabelecer novamente. Demora um pouquinho e é bom que você faça com acompanhamento médico e procure se exercitar. Lembre-se de que você não é a única a voltar dos States assim, e que mais valem histórias para contar, do que alguns quilinhos a menos. Não tenha medo.

Vire estudante... decidiu ficar como estudante? Legal... Primeiro, seu inglês já está bom? Se não estiver, considere fazer aulas de ESL, pois o nível de inglês exigido é alto. Depois, pegue a lista de cursos que o college perto de você oferece e veja se há algum que você goste. Se sim, vá até o admissions Office (ligue, mande e-mail) e se informe da documentação necessária. Junte tudo que eles pedirem. Entre os documentos haverá a tal carta do sponsor. Sponsor é aquele que "tem o dinheiro" que irá bancar seus estudos. Pode ser alguém do Brasil, sim. Mas é mais fácil se for algum americano. Como a sua host family, por exemplo. O acordo com a host family é bem simples. Eles podem pagar seus estudos, ao invés de pagarem à agência e você continuará com eles. Geralmente, um semestre fica em torno de U$ 4 mil. E você tem que cursar 12 créditos obrigatórios. Ou seja, precisa mesmo negociar com a familia. Ou sair do programa e procurar morar nos dormitórios que alguns colleges oferecem. Tudo que eu expliquei é para undergrad., ou seja, meros mortais com graduação no Brasil ou não. Você pode vir tirar o visto de estudante no Brasil ou por ai mesmo. Se fizer nos EUA, você não ficará ilegal, não. Seu status muda para "em transição". E é só esperar os novos documentos chegarem pelo correio. Você precisa de mais informações? Então, me manda um e-mail que pergunto novamente aos meus amigos que mudaram de visto por lá. 


Faça estágio na sede da empresa que te mandou! Eu fui pela Cultural Care e no site deles, EF/CC BOSTON, há vagas para trabalhar na sede como estagiária remunerada por 3 meses. Eu já vi essas vagas duas vezes e sei que não são muitas, são concorridas e raras, por isso, fique de olho. Ou ainda, mande um e-mail para a sede da empresa pela qual você foi e pergunte. A outra opção é ser monitora na escola de treinamento da CC. Também por 3 meses e também vagas raras. Olhos abertos! Sempre!

De uma maneira ou de outra, você não pode sair dos States sem:

# provar peanut butter jelly sandwich;
# provar o feijão doce do churrasco;
# observar um churrasco americano e sentir saudades do churrasco brazuca! Rsrsrs..
# ir a um show da Broadway;
# visitar Washington DC e fazer o tour pela White House;
# visitar L.A. e alguns estúdios da Universal e tal;
# visitar Vegas e apostar pelo menos 1 dólar;
# visitar à FL e nadar com os golfinhos;
# ir à Disney;
# ir à uma festa de college \o/
# comer pizza sem katchup;
# ver um jogo de baseball e de football americano de pertinho;
# ir a um show da sua banda preferida;
# ir ao Brazilian Day em NYC;
# ir a NYC e conhecer a Srt Liberdade. rsrsrs...
# ir ao Hawaii e ao Alaska;
# participar de um Halloween super produzida... rs e pedir "doce ou travessura"
# acampar na praia com direito a fogueira e tudo! 
# Brincar na neve, sentí-la nos pés, nas mãos e fazer um boneco de neve!
# comprar algo e usar um cupom do jornal... hahaha...

E tem muitas outras coisas... Eu não fiz todas ainda, mas isso me motiva a voltar várias vezes aos EUA!! hahaha... Sabem de mais alguma coisa? Deixem ai nos comentários...

Chegando ao Brasil.... a saudades será imensa, verdade... Você sentirá falta da segurança, de não se preocupar com tantas contas a pagar, da facilidade que era viajar, das farras e da facilidade de comprar várias coisas, não é mesmo? Você sentirá saudade da língua, de falar/ouvir, todos os dias... e trocará várias palavras. Mas você resolveu voltar e agora é bola para frente! É tentar entrar em contato com empresas e companhias que contratam pessoas bilingues: Coca-Cola, Nokia, Sadia, Apple... várias têm escritórios no Brasil e oferencem empregos legais em grandes cidades! Dai você poderá considerar a ideia de morar sem os seus pais, também. Mudar de cidade e trabalhar usando os cursos que fez nos EUA e o UP que deu no seu inglês. No meu caso, comecei a minha faculdade, mas o programa ainda me abre portas até hoje! Quem já voltou para o Brasil? Deixe ai nos comentários como foi e o que você tem feito!! 

Nenhum comentário: