6/29/2014

O bacon, a pasta de amendoim e as emoções!

Oi, pessoal!! Como prometi: voltei! :) 

E voltei com um assunto que sempre respondo por e-mail... "é normal me sentir deslocado, reprimido, excluído, triste, confuso, muito feliz, livre e com dor de barriga durante o programa?" Cara, não apenas antes ou durante o programa. É normal se sentir assim em qualquer fase da vida. É normal ter sentimentos diferentes e cheios de contrastes quando nos deparamos com situações estranhas. 

Um vez, eu estava em um café perto de casa, em New Jersey. Eu estava sozinha, esperando dois amigos.... Era um começo de noite como qualquer outro e eu estava feliz de estar vivendo essa nova aventura que era ser au pair. Pedi meu café, sentei em uma mesa perto da janela só para ver a neve no chão e os meninos chegaram. Eles eram de NJ e começaram a me contar como sentiam falta de NJ quando estavam na Califórnia. Eles sentiam falta dos amigos, da comida da mãe e de irem aos lugares em que estavam acostumados a encontrar tudo. Eles estudavam lá na CA e voltavam para casa nas férias. Nossa... nesse minuto eu parei de tomar meu café e fiquei pensando em como sentia falta de casa. Minha alegria sumiu em 3 segundos.... Fiquei mega pensativa.... Fiquei nostálgica por coisas bobas. Me despedi dos amigos um tempo depois, sai do café e comprei uma casquinha de chocolate no Mc Donalds. Elas têm o mesmo sabor no mundo todo. E eu sentia o sabor de casa... minha mãe ama as casquinhas do Mc. 


Bandida da madrugada!
Então, é importante sentir tudo que você está sentindo e lidar com o sentimento até que ele vá embora... Eu liguei para a minha mãe de um orelhão e conversei com ela. Ela me falou para ir aproveitar meu ano, que passaria voando e que logo eu estaria em casa. E foi o que fiz. Mas eu lidei com os meus sentimentos. Eu entendi e racionalizei o porquê de estar triste. Depois disso, foi mais fácil lidar com ESSE sentimento de saudade de casa. Assim, todos os seus sentimentos são importantes. Pergunte-se "por que estou me sentindo assim?", escreva a resposta em um papel e pense "it is ok to feel this way. It will go away shortly!" E tenha calma... paciência... vai passar. Respire. E ocupe-se. 

Sabe aquela velha frase "cabeça vazia é a oficina do capet@?!" Pois é... quando sentir algo que não está acostumada a sentir, até mesmo muita felicidade, ocupe a mente com algo que lhe tranquilize. Escute música, veja um filme e tenha mais controle... quando estamos nos extremos: muito tristes ou muito felizes, fica complicado lidar com o resto do que acontece conosco. Podemos parecer "metidos", "complicados" etc... aos olhos dos outros e tal. ;) Só uma dica.

E no mais, se você não lidar com o que sente, você pode passar, muito provavelmente, pelo que passei... descontei a minha ansiedade na comida... engordei alguns vários kilos quando morei na Califórnia... eu comia peanut butter com a colher... direto do vidro... pois andava muito ansiosa, pois o segundo ano iria acabar e eu ainda não tinha um plano para o ano 3. Um dia, eu fui dar banho nos 3 pequenos e coloquei muita água na banheira, coloquei sabão, ajudei os meninos a entrarem e sentei na porta do banheiro com o vidro de peanut butter e uma colher. Detalhe, o banheiro era na subida da escada para o escritório e meu host podia me ver... e já que o banheiro tinha espelho em toda a parede da pia, a hostess podia me ver pelo outro ângulo, lá da cozinha. E lá eu fiquei mesmo assim, no chão. Uns 30min comendo... quase chorando... e as kids me pediam um pouco e eu falava "but guys, dinner time is in a min. You cannot have this now". E eu comendo.... Já que voltar para o Brasil não era opção naquela época, eu ficava ansiosa por não saber o quê fazer. Assim, peanut butter não era só o que eu comia. Entrei na onda do café super pesado: bacon, ovo, salsicha... 



conclusão: virei uma bolinha. E com a diferença de fuso entre Brasilia e a Califórnia, eu não podia conversar com a minha mãe com muita facilidade, sabe!? Mas aprendi, cresci e vi que lidar com os sentimentos é a melhor forma de manter a sanidade física e mental.

"it is ok to feel this way", repete, vai!! E vai passar!! Não durará para sempre. Seja forte. 





Enquete: e você quando está nervosa, o que faz para lidar com os sentimentos?

Beijos para @Débora Stein e @Elma! Obrigada pelos comentários meninas. Boa sorte na vida de comissária, Débora. Ouvi dizer que são "altas aventuras"! Se joga!! 

Tarci

E não esqueçam de curtir a página do Amiga do Tio Sam no FB!

2 comentários:

Gisella Nascimento disse...

Oi Tarci!! ai q bom q retomou com seus incríveis posts... eu fui uma q te acompanhei na epoca de au pair *-* bjokas PS: eu sou contrario, qdo fico ansiosa perco o apetite total e emagreço horrores!!! Lidar com a calma é uma dadiva :*

Thália Mendler disse...

Olá Tarci!
Td bem?

aqui quem escreve é Nathália, uma futura Au Pair que fuça em mil blogs e também já tem um haha
Parabéns pelo seu, aliás!

Quero pedir uma ajuda: como vi que você morou em NJ, gostaria de saber se você tem e pode passar algum contato de alguém que more na Pennsylvania e/ou em New Jersey para uma brasileira que chegou lá e ainda não fez amizades.
Agradeço desde já!

Beijoss!

Nath,
www.brazucaupair.blogspot.com