3/16/2014

O que fazer com o namorado?

Aquele sobre o que fazer com seu boymagya ou girlmagya... Pois é... O carnaval chegou e foi embora e o que eu mais recebi no inbox foram mensagens perguntando o que fazer com o namorado(a) agora que o ano "realmente iria começar" e os planos do intercâmbio acontecer. Eu não recebi uma ou duas mensagens, eu recebi bem mais... Eu recebi comentários, desabafos, dúvidas e só então eu resolvi escrever esse post. Vamos lá?! Vou começar com a regra número 1: 




#1: NUNCA, NUNCA, NUNCA deixe alguém mudar SEUS sonhos.... O seu sonho é realmente viajar e morar fora? É mesmo o que VOCÊ quer? Então, não deixe ninguém atrapalhar isso... Com a decisão tomada: VIAJAR é o que você quer fazer, agora você tem que lidar com ela e resolver os "pequenos dilemas". 

#2: DIGA SEMPRE A VERDADE... Não adianta dizer que vai viajar e que tudo será exatamente igual, porque não será. A distância e os objetivos diferentes podem, SIM, mudar um casal. Então, seja honesta (o). Diga os motivos de fazer o intercâmbio, as vantagens e o tempo em que você ficará fora. Se o seu parceiro concordar e te apoiar, é a hora de planejarem juntos...Sim, deixe sua "metade da laranja" te ajudar, né?!

#3: PLANEJE: Comece com o tempo do intercâmbio... 6 meses? 1 ano? 2 anos? Sua outra metade precisa saber... Depois, escolha a data da ida e da volta.... O que fará enquanto estiver fora, os cursos que irá estudar, os lugares que irá visitar e as datas da visitas ao Brasil.... 

#4: ENVOLVIMENTO: chame o outro para tomar decisões com você. Escolher a cidade, a host family, as horas de trabalho, os cursos no college. Convide para ir à agência, às palestras, aos meetings com as outras au pair e, é claro, apresente outros casais que ficarão um ano longe como vocês. Deixe-o ajudar a escolher a family e não esqueça de contar para a host family que você tem alguém no Brasil e que esse alguém gostaria de te visitar durante seu ano fora. Pergunte se haveria algum problema e tire todas as suas dúvidas. 

#5: MARCAÇÕES: marquem em um calendário comum (um novinho que a fofa (o) vai comprar apenas para a ocasião... algo especial... compre dois iguais, fofa!!) as datas especiais e os projetos. Niver de namoro, por exemplo... E como projetos entendam "os dias de visita". Quando irão se encontrar durante esse tempo longe um do outro? Uma vez no semestre? Onde? Marquem no calendário. É algo físico em que os dois poderão se agarrar para não morrerem de saudades. ;) Uma possibilidade é marcar, também no "meio do caminho". Férias na Disney? Ou um encontro no México? Usem a imaginação e o dinheiro semanal para planejar. É possível sim. E pode ser bem legal. Marquem tudo nos dois calendários e "contem os dias". É uma experiência que pode ser bem legal. ;)

#6: SEM ARREPENDIMENTOS: Se vocês combinaram tudo direitinho e se houve apoio até o final da parte da "sua metade da laranja" não há motivos para que você não se divirta durante o seu ano fora. Nada de arrependimentos. Se os dois concordaram que seria legal, que iria fazer bem ao futuro, e que você iria crescer com a experiência, então você vai curtir cada momento. Vai sair com azamigas, vai viajar e vai em todos os lugares que sempre quis ir. Afinal, é um ano para aproveitar e não para ficar em casa sozinha lamentando a saudade e a distância, né?!



#7: MANTENHA A SUA PROMESSA: olha, essa é a parte mais importante para mim. Eu sou muito apegada as palavras. Se você me falar que vai fazer, você pode levar 3 anos pensando em <como fazer>, mas não volte atrás, por favor. Ou seja, se você prometeu a quem ficou no Brasil que iria fazer Skype duas vezes por semana, no horário tal, cumpra. Se você prometeu que não iria à baladinhas muito loucas, cumpra. Mas se você chegou nos States e "pirou o cabeção", então, volte ao número 2 e DIGA A VERDADE. 

#8: PIRANDO O CABEÇÂO: muitas pessoas chegam aos States e piram a caixola. É muita coisa junta: liberdade, viagens, agitos, U$ e outlets (rsrsrs). Daí a pessoa começa a achar que manter um relacionamento à distância será impossível... Well, my dear, seja honesto e diga isso com todas as letras a quem ficou te esperando no Brasil e o deixe livre. Sim! Termine! E explique o porquê. Ninguém é obrigado a ler a sua mente. Diga com todas as letras: "quero paquerar gatinhos americanos" ou "não quero mais te dar satisfação" ou "não gosto mais de você dessa maneira".... E prepare-se para as consequências, como, por exemplo, vê-lo construir a vida no Brasil com outra pessoa. E se o contrário acontecer, O QUE É UMA POSSIBILIDADE (você viaja, ele(a) não segura a barra e termina com você) SEJA FORTE. O mundo e nem o intercâmbio acabarão aí. Dê o gás, comece de novo e se reinvente. Mais fácil falar do que fazer, I know, mas era uma possibilidade e você terá que tentar. No final, você verá que o Plano Maior era outro e que valeu a pena. 



#9: COMUNIQUE-SE e COMPARTILHE: Ei, esse para mim é o ítem mais importante para vencer a distância. Com tanta tecnologia, ahhhhh por favor, seja criativo!! Crie um blog especialmente para o seu "alguém especial" e divida as coisas apenas com ele. Deixe fotos e mensagens carinhosas... Ele se sentirá ainda mais querido. Faça FaceTime e Skype SEMPRE que possível e deixe-o participar do que você estiver fazendo: apresente a casa, as kids, a cidade, os hosts, o college... ;) Seja criativo: volte ao tempo das cartas e dos cartões-postais (dos lugares que visitou). Faça uma coleção com ele: ímãs de geladeiras, chaveiros, moedas e canetas... Coisinhas dos lugares em que forem um sem o outro, para terem como lembrancinhas futuramente. É uma ideia muito legal e uma chance de continuarem com um objetivo comum. 

#10: E A CHANCE DO OUTRO? Essa também poderá ser a chance do outro viajar, assim como você. Aproveite. Veja a possibilidade dele(a) também fazer um intercâmbio e ter uma experiência tão maravilhosa quanto você. Vale até ser male au pair e tentar um family próximo a sua. Ahhh até existem families que receberiam vocês dois, viu!? É só pesquisar. E manter todas as dicas anteriores com a diferença de que ele não estaria no Brasil, estaria em outro pais, assim como você. Lembre-se: ele também deve ter uma chance como a sua.  

E, no final das contas.... 




porque se esse for realmente um sonho seu (de vocês), as coisas irão se organizar. É claro que tudo que escrevi é "teoria"... Embora eu conheça muitos casos reais de casais que venceram a distância, também conheço casais que seguiram caminhos diferentes. Assim, peço para aqueles que tenham experiências para compartilhar, que as deixem nos comentários. Eu farei um post com as experiências "de verdade" em breve.

Espero ter ajudado. 
Beijos,
T.
PS: Já curtiu a página do Amiga do Tio Sam no FB? Não? Corre lá... veja as dias e as informações que posto diariamente (ou quase...RSRSRSRS). 

Nenhum comentário: