10/06/2013

Aquele em que você não precisa concordar comigo, mas e com seu host?

Bom dia, dear people! 

Ahhh divide o café comigo, vai!! :)
Domingão da preguiçona e eu aqui ralando o popozão. Domingo para mim é dia de fazer planejamento e de atualizar meus blogs. Nem sempre consigo atualizar todos. Hahaha O domingo acaba sendo curto! Mas eu sempre trabalhei domingo... Desde que eu tinha 14 anos, em festas infantis.... quando fui au pair, meus dias off eram segunda e terça... detalhe: eu fui sem saber disso! Rsrsrs... por isso continuo ajudando aos queridos.... Tive um ano legal, mas fui super trouxa... hahaha esqueci de perguntar tanta coisa... mas bem, isso ficou para trás... seguiremos com o novo....

304 views do último post... wow... muito obrigada, people!! De verdade!! E tudo isso em menos de 2 dias que o post estava no ar....Eu comemorei cada vez que alguém entrou e deixou um recadinho... eu vibrei mesmo.... Era um post que eu sempre quis escrever, dei o sangue, sabe?! E depois que escrevi ainda ouvi uns comentários do tipo:"Ibope alto não quer dizer que as pessoas concordem com você..." Well... Acho que eu SEI DISSO, não é? Na verdade, EM NENHUM dos meus post faço pedidos malucos para que vocês concordem comigo. Isso seria arbitrário. Um abuso. Seria EU tentando COLONIZAR as ideias e opiniões de vocês. E, na boa, eu não faço essa corrente. Meu objetivo maior é que TODOS leiam, pensem e possam REFLETIR. Daí, meuw, você faz o que você quiser com a sua vida. Mas saber que esse era um assunto muito popular entre as meninas e que eu pude traduzí-lo em palavras foi uma sensação maravilhosa. 

Ao meu povo que deixou recado nos comentários do último post: @Franciele, @Bárbara e @Gabi, obrigada, girls! De verdade! Fiquei feliz em saber que havia escrito algo bom. Meu e-mail é tarciana.barbosa@gmail.com. As meninas que me mandaram carta, podem ficar calmas, que estou trabalhando nelas, ok?! ;) Mandei e-mail para quem me mandou e-mail e expliquei que já estou fazendo o que prometi. Só não fui mais rápida porque estive doente. 

Indo ao assunto de hoje.... Cara, como é o seu relacionamento com o seu host? Geralmente, a host é mais aberta ao diálogo... é ela quem gosta de saber da nossa vida, se estamos nos sentindo em casa e tals. O host já é mais fechadão, quieto. Pelo menos comigo era assim. Meu host do primeiro ano, quase não falava comigo. Eu bem acho que ainda hoje ele não era exatamente meu fã. Eu era uma pessoa vinda dos confins do mundo para "mudar" a rotina da casa dele. Hahaha.. Quando eu vou visitar, ele fala comigo. Sim. Uma vez. Quando eu chego. E só. O resto da familia me abraça, me leva para passear e tira fotos comigo. Ele é bem paradão. Minha ideia de que ele não vai muito com a minha cara tornou-se mais nítida no dia que ele "me esqueceu" no cinema até 1am. Ele deveria ter ido me buscar às 22h. Eu liguei em casa, ele atendeu, disse que estava indo me pegar (eu tinha acabado de chegar nos States, era uma noite de neve e eu não podia dirigir sozinha ainda) e virou para o lado e dormiu. Ele nem se levantou para ir me buscar. 1am eu tornei a ligar... pensei um monte de bobagens: o cara sofreu um acidente, alguma kid sofreu um acidente, ele foi para o mall errado... mil coisas... dai dessa vez, eu liguei no telefone da oficina que era 24h e funciona na frente da minha ex host casa. Quando o tel lá toca, todos os tels da casa toda tocam juntos. Dessa vez ele acordou num pulo. Mas, como ele, o resto da familia acordou e o vovô foi quem falou comigo no tel e disse que estava saindo. Meu host só ouviu o tel, imaginou que era eu e entrou no carro só de pijamas. Os dois chegaram juntos no mall. E o vovô disse:"vai com ele que vou ajudar um carro que quebrou". Falei "ok" e entrei no carro sem dar uma palavra com ele. No outro dia, a minha host fez o maior escândalo do mundo. Eu nunca tinha visto a K. tão furiosa. O host teve que sair e comprar flores para nós duas. :P Tennnnso!! Mas é desde então que eu acho que ele não gosta assim tanto de mim... e a nossa relação era de "bom dia", "tchau", "I am going now"... essas coisas... 


Cansa não, fia! Calma! Ainda há muito para ser vivido!
Daí, cheguei no 2 ano e troquei de family. Não, não foi por causa do host. Eu simplesmente queria morar nos dois lados dos EUA. Assim, eu sai de NJ e fui para a Califórnia. Orinda, para ser mais exata. 15min de SF. Lugar lindo, encantador. :) E o novo hosto? Bom, esse falava um pouco mais comigo. Mas a comunicação ainda não era 100%. Geralmente, ele pedia para a hosta me pedir as coisas... Mas eu conversava bem mais com ele. Na hora do jantar sempre tinha uma boa conversa com perguntas sobre o Brasil e tal. Ele era legal. E, muitas vezes, eu dava a minha opinião sobre os assuntos que conversávamos e ele tentava me fazer pensar como ele. Era interessante... ainda bem que eu não tinha que concordar com tudo. Um dia, ele me chamaram para ir ao templo. Sexta-feira. 6pm. Eu estava off e fui. Poxa... eles falavam tanto de lá. Eu precisava saber como era. Como uma observadora, fiquei alguns minutos estudando o local.... Procurando seguir o que os outros faziam para não errar... e foi aí que vi que meu hosto era outra pessoa quando estava naquele lugar: muito mais feliz, empolgado... e todas as conversar sobre o templo, depois desse dia, foram mais produtivas. Afinal, eu sabia do que ele estava falando agora... EU NÃO PRECISAVA só concordar: "hum hum... cool.. nice... really" Com "medo" de falar bobeira ou com medo de discordar... podia dar mesmo a minha opinião, pois tinha ido, visto e vivido com eles... Mas isso só aconteceu porque ele me deu espaço e eu aceitei ir. E ele aceitou me mostrar.

E tanto esse quanto o do primeiro ano eram bons pais. O importante é saber que pode ser só o jeitão dele mesmo e que você vai ter que aprender a conviver com isso se não quiser entrar em rematch e pode ser que, mesmo entrando em rematch, nada mude. E você encontra outro super "tranquilão"... Desses que nem sabem se você está ou não em casa. Mas o intercâmbio de au pair tem dessas coisas mesmo. VOCÊ precisa aprender a se relacionar em 2min com pessoas que nunca viu na vidaaaaaaaaaaa!! Vejamos: você tem irmãos? Você briga com eles também, né? E com seus pais? Agora imagina com pessoas que você nunca viu antes?! Sééééério... ou você vai/fica/tem a mente aberta, ou irá enlouquecer, certamente. Não, não é uma tarefa fácil. E sim, é bem mais fácil escrever do que realmente fazer alguma coisa, mas se você não ler essas poucas linhas e tentar, ficará para sempre no limite entre aprender a conviver e querer que a convivência seja do seu jeito. 

Então, como é na host family de vocês? Ou como vocês acham que vai ser? Deixem nos comentários que quero publicar exemplos aqui no próximo post. 

Beijos e até a próxima.

Tarciana

10/01/2013

Aquele sobre a casa não ser sua!

Oi, auperístikos! Quase um mês sem passar aqui... Juro que a culpa nem foi minha... Aconteceram tantas coisas... Umas que nem valem a pena mencionar aqui... sad, sad! But let's move on, right?

Pessoal, hoje a página no Face atingiu 1000 likes. Estou muito feliz. São mil auperístikos seguindo o blog, as dicas e as brincadeiras que eu posto lá quase todos os dias. Como eu não teria conseguido sem vocês, aqui vai meu presente para os futuros auperístikos: se você está preenchendo o seu appl e se você já fez a sua carta, pode mandá-la para o meu e-mail que eu corrijo para você, ok? Vou corrigir as cinco primeiras que chegarem de hoje, 01/10, até sexta, 04/10. I am waiting! And thank you, nice people! :)



Vamos ao tema de hoje? É um tema bem simples de entender, mas muitos intercambistas têm problema para internalizar um fato bem real: a casa não é sua!

Gente, eu sei que você pagou para ir e que a family aceitou te receber, MAS A CASA NÃO É SUA. Sim, você é parte da familia, eles te amam, MAS A CASA NÃO É SUA. É... você mora lá e tem um quarto e até ajuda nos trabalhos domésticos, MAS A CASA NÃO É SUA. E por que eu estou aqui martelando essa ideia? Porque nós temos auperístikos sem noção... Eles acham que só porque moram lá têm que "mandar" os hosts "tomarem vergonha na cara" e fazerem certas atividades domésticas. Não, vocês não têm que mandar nos hosts. E nem que pedir. É assim que funciona: se a host pedir para você, aí você diz CARINHOSAMENTE que não faz parte dos seus deveres de au pair. Se você QUISER fazer porque algo te tira a vontade de viver, tipo lavar as louças porque odeia ver a pia cheia, ai você faz e fica na boa. Nada de deixar bilhetinho para a host mandando/pedindo que ela lave uma louça que foi ELA, NA CASA DELA, quem sujou. Sim, ela vai lavar quando quiser. Imagine você, recebendo uma menina dos fins do mundo, que fala a sua língua marromenos e que está ali para fazer um trabalho X, te deixando um BILHETE/e-mail/RECADO NO FB te pedindo para lavar a SUA louça. 

Não gosta de morar aqui? Volta para casa, amor!
Oi, né? Se liga. Masssssssssss, e tudo tem o mas, se tem uma coisa que a host faz e que te irrita, então, fia, chama para uma conversa. Em casa. Cara a cara. Mostrando o problema e, o mais importante, APRESENTANDO A SOLUÇÃO. Que meleca de dizer: "isso tá errado e acabô!", nem faz sentido, né? Combinem alguma coisa, converse com jeito, pois a casa não é sua. Se ver louça na pia te mata, lave. Se não quer lavar, fique na sua. Tire de dentro, use a água e coloque de volta. Difícil? Então lava, ué! "Ahhhh Tarciana, mas não fui eu que sujei"... a gente sabe, fia! A gente sabe! Mas a tua host TEM O DIREITO de sujar o que ela quiser e de deixar onde ela quiser e do jeito que ela quiser. Falta de educação? Sim. Preguiça? Talvez. Mas ela, a tua host, é uma mulher crescida. E ela não é tua responsabilidade. Usa a pia, não deixa as coisas das kids e continua teu dia. Se ela te pedir, aí sim, conversa... pois se ela te pede para fazer algo assim, você também pode conversar. Calma, fia, não chama a LCC de cara não. Chama a host e fala com ela. E faz o mesmo que escrevi aí. Esses casos delicados podem dar rematch, sim... Euzinha aqui não ia querer uma menina X me falando que tenho que lavar a louça todo dia de manhã porque isso a deixa "crazy". Hahahaha se ela me fala isso, é rematch e beijo. 

hahahahaha só os fortes entenderão!
E isso não é tudo... outra coisa que os auperístikos têm que lembrar é que: a family viajou, mas você DEVE perguntar se pode levar amigos/ fazer festinha. Bem, use a lógica: eles viajaram, você não pediu, deu uma PUTA festinha, ACONTECEU MERDA, você se lascou. Outra: se os vizinhos virem, você se lascou de novo. Ou ainda, uma amiga leva uma amiga que leva uma amiga que você não conhece. Nunca viu a guria antes. E a guria FUMA na sua casa (o que é proibido), ou "passa a mão" em alguns itens da sua host... E aí, José? Como lidar? Dica importante: não saia confiando em todo mundo... isso é um intercâmbio, não um filme da Disney. Há gente má lá fora também....E lembre-se: cara, você sempre irá se lascar se não contar a verdade. PEDIR: "oi, já que vocês vão para o lake, meus amigos podem vir aqui?" Fala tudo... "nós vamos ver filme, jogar games ou nadar... fazer umas caipirinhas... mas EU DEIXO TUDO ARRUMADO E ME RESPONSABILIZO"... parte importante. Afinal, a casa não é sua. 

Pela minha experiência: eu vivi 1 ano com uma fam que adoravaaaaa uma bagunça. Até eu chegar. Sim, rolava muita coisa pelos cantos, uma zona só e eu ía ajeitando como podia... Mas algumas coisas não dependiam de mim. Por exemplo: meu host tinha que criar coragem e organizar o jardim... fiquei um ano lá e não sentei no deck da casa deles nem uma vez. Hahaha não dava. Tinha poeira, tinham aranhas... e eu doida para chamar azamigas para lá... Mas não rolava mesmo. Um dia, eu joguei um verde p/ minha hosta: "vamos redecorar o deck?".. Ela amou a ideia e a gente foi até uma loja e comprou muitas coisas legais. Pergunte se ela decorou o deck? Não, né? Foi tudo parar na garagem. O host nunca limpou o deck. Hahaha outra: eu tinha aulas 3x na semana das 19h às 22h. Mas eu precisava sair às 18h. Eu deixava tudo organizado, kids limpas e pia limpa e jantar encaminhado e caia fora... no outro dia de manhã, rolava a zona na pia, né? Mas eles guardavam o jantar p/ mim e SEMPRE tinham coisas que eu gostava na geladeira. Algumas vezes, eu até lavava PARTE  da louça.... outras vezes, eu deixava. E a gente ia sobrevivendo... nunca precisamos conversar sobre isso... ficou no ar. Nunca me pediram diretamente. A gente conseguiu levar. Com uma boa conversa TUDO pode ser acordado. Inclusive o carro.... Eu só podia usar um deles... com a rotina e a necessidade, acabei saindo em todos. O que estivesse mais perto, eu ia. Minha paixão era a minivan. Era leve. Mas logo que cheguei eu não podia dirigir porque ela era muito grande. Dai eu só dirigia a KIA. Depois que aprendi, e PORQUE EU GOSTO, eu limpava os carros aos sábados com a ajuda das kids. Sim, eu trabalhava sábado e domingo... e folgava segunda, terça e metade da quarta... Cara, é a vida. Uma coisa compensa a outra... e muita coisa pode ser resolvida no diálogo. 

E vocês? O que tem parecido um pesadelo aí? Ou qual o maior medo de quem ainda nem foi? 

Beijos e muito obrigada... 

**Respondendo os comentários**
@Aline: valeu, querida! :)