8/07/2012

O Velho Jeitinho Brasileiro!!

Queridas, tudo bem com vocês? Espero que sim!! Primeiramente, me desculpem por não ter passado por aqui antes, mas a minha vida tem sido muito muito muito corrida ultimamente. Têm meninas que perguntam o que vão fazer quando voltarem para o Brasil depois do programa. Eu comecei faculdade de PBSL (Português do Brasil como Segunda Língua) e de Inglês na UnB, e trabalho como professora/tradutora de segunda à sábado. Sim, a minha vida no Brasil é em "ritmo de festa" ou de loucura!! hahaha... Mas esse não é o tema do meu post!

Meu post é sobre algo que li lá no FB, no grupo Au Pair, um dia desses (sexta, acho!) e que me deixou revoltada e depois triste. Eu não voltei para comentar lá porque muitas muitas meninas comentaram no meu post e eu não esperava que fosse dá esse "bafão" todo. Dai, a minha resposta por lá ficou enorme e dei @nomedamenina em quase todas as meninas, dando respostas e esclarecendo o que eu havia postado. Por isso, como acho justo responder a cada uma de vocês, respondi por aqui. Podem avisar as outras meninas! Não vejam meu post como bullying, briga ou confusão. Todos nós temos o direito à Liberdade de Expressão. Eu não tive a ideia de julgar ninguém quando postei aquele comentário, de maneira nenhuma. Eu vi no que li uma maneira que alertar aos viajantes, que ainda vão entrar nesse barco, de que é preciso ter educação. Eu sei que cada um sabe onde aperta o sapato, mas é bom que nos policiemos mais, especialmente agora que vamos cuidar de crianças, sim?! Pois é! Todos são livres, mas vamos usar essa liberdade com muita consciência! Este meu post é meramente explicativo e convida ao diálogo! Sim, dialogando e refletindo, a gente cresce, se entende e amadurece. Afinal, ser au pair é também saber conviver com as diferenças!



Primeiro, o jeitinho brasileiro não é algo que fere apenas a pessoa que pratica. O jeitinho brasileiro, certamente, é algo é fere, machuca ou rouba de um terceiro. Uma pessoa que, às vezes, não está nem ali na história ainda. Vamos ao exemplo: na sexta-feira à noite, eu fui ao cinema. Pier 21. Brasília. 22h. Imaginem a fila enorme que encontramos para os ingressos e depois para a pipoca. Quando chegou a minha vez de comprar o lanche, uma "bonitinha" (putz, a menina era bonita mesmo!), chamou o único carinha que estava na venda das pipocas na frente de todo mundo, passando à frente na fila (NA MINHA FRENTE) e disse: - "olha, tenho 2 reais em moedas, me dá de bala!" Putz! Meu sangue subiu. Olha, a minha vontade foi dizer: "E eu vou pagar com Visa. Ele não vai precisar contar as moedas." Mas, nãããão! Eu fiquei calada e dei um "OLHAR BICHA-SE-LIGA, VÉI!", mas ela nem "tchum". Pegou as balas, pagou e saiu andando toda no salto para ver o filme dela. E eu fiquei mais uns 3min ali... esperei o carinha contar as moedas, guardá-las e voltar a me atender. E NINGUÉM na fila disse nada. Meu ponto? Ela pensou que esse tal "jeitinho brasileiro" também poderia ser usado para comprar balas. Na verdade, pode ser usado para tudo! Tudo em que se possa tirar vantagem... Mas nem tudo com a classificação "jeitinho brasileiro" fere aos outros. Por exemplo: é do "jeitinho brasileiro" não dizer NÃO na cara dos outros. A gente diz: "depois a gente marca!", mas nunca ou dificilmente, diz NÃO na cara! Bom, muitas pessoas sabem que "depois a gente marca" é uma forma inofensiva de recusar um convite. A pessoa pode até esperar a ligação, mas não vai "sair prejudicada por isso"... [estou considerando condições favoráveis e estáveis de vento, meninas. Ou seja, isso não se aplica aos meninos-idiotas que nos deixaram esperando...rs Ou aos convites grosseiros, viu!]




Assim, tendo explicado o que é o tal "jeitinho brasileiro de vamos tirar vantagem", vou ao tópico da tal da carteira fake. Meninas, eu não estava falando disso e eu não conheço a garota que a fez. Se a conhecesse antes, não me importaria com o que ela resolveu fazer, pois se alguém descobrisse, só ela sairia prejudicada. Mas a contaria o seguinte: uma amiga, em 2006, fez a carteira e a LCC descobriu. A familia dela soube e pediu rematch (como confiar, né?). Ela não achou família e voltou para o Brasil. Ela cuidava de 1 kid, morava em NYC e trabalha 4 dias na semana. Eu diria a colega da carteira: pense duas vezes. Valeria arriscar tudo? Por isso falo para as meninas que gostam de sair, esperem! Venham com 21! Mas... não era disso que eu estava falando...

O que eu falava ali, naquele desabafo, eram das coisas que fazem mal aos outros, como furar uma fila. E que mancham, sim, o "nosso nome lá fora". Uma das meninas falou assim: "mas é injustiça julgar o país inteiro". Também acho injustiça, mas acontece! Quantas vezes vejo posts dizendo que "os americanos isso..." e "os americanos aquilo". Pois é! É a ideia que passamos quando estamos sendo observados. É assim com todo e qualquer povo, em várias culturas. Mas eu não julguei todo mundo. Eu disse que, infelizmente, estariam nos julgando assim. E estão. Ou você acha que a pessoa vai achar que é apenas uma que faz isso? Creio que não! Uma vez, no Great Au Pair, uma fam escreveu que NUNCA MAIS queria ter au pair brazuca, pois a que morou com ela por mais de um ano, vivia dando festas na piscina e bateu o carro da familia duas vezes. Ela generalizou todas nós... e era uma fam bacana de se trabalhar, pela descrição do GAP. 

A pior parte de tudo: somos educadoras e modelos também. Cuidamos de kids. [coloquem esses verbos no passado quando pensarem em mim... se bem que sou professora.. então não mudou muita coisa...] E crianças fazem, quase sempre, aquilo que observam nos adultos que estão perto delas. Ela olha, entende o comportamento como socialmente aceitável e "pronto!", faz igual. Por exemplo: ela sai com os pais e vê o pai gritar com o atendente do Mc Donalds [História real. McDonalds de Vitória - ES perto da feirinha na beira da orla no último domingo de maio/12...] só porque o carinha disse que só daria o sorvete se o pai ainda tivesse o recibo de pagamento quando fosse buscar a casquinha. Na boa? Todo mundo sabe que é assim!! Você compra, come o lanche e depois busca o sorvete com o mesmo comprovante. Ok. O pai perdeu o dele. Mas existiam N maneiras de resolver o problema. Porém, ele escolheu gritar com o atendente e chamá-lo de nomes nada carinhosos na frente de todos, inclusive dos filhos pequenos. Que tipo de exemplo essa criança teve ali? É muito tenso.

E era disso que eu estava falando. Todas as vezes que vocês estão com as kids no carro e não param na faixa, não respeitam a fila dos idosos, tentam ultrapassar o school bus, abrem um pacote de balas no mercado antes de pagar, não oferecem lugar aos idosos em um ônibus lotado ou ajudam a um deficiente quando há necessidade, uma kid observa e aprende igual. E um adulto PODE ESTAR OBSERVANDO e julgar toda a nossa nação pela falta de educação de algumas. Especialmente se você faz isso lá fora.  Não me importa se você vai descer na próxima parada. Se você está sentada em lugar para idoso, levante-se! Tem gente que vai pensar: "nossa, a Tarciana quer salvar o mundo. Essas kids não são meus filhos e eu faço o que quiser!"... Bem, se você pensa assim, ok! Não posso fazer nada. Mas enquanto eu puder alertar e pedir para que os outros usem o senso crítico, estarei aqui. Afinal, sou professora! 

Outra: esse policiamento todo mostra apenas a sua educação! Faz bem para você. E tocando nesse assunto, eu gostaria de dizer mais uma coisa: evitem as respostas "atravessadas-azedas" lá nos posts. Só queima o filme de vocês. Eu sei que tem perguntas que PFV, né? São de doer, mas ninguém é obrigado a respondê-las. Simplesmente, pule a pergunta e vá para a próxima. Mas se você começou a ler e se sentiu angustiada e querendo dizer algo, tenha o mínimo de bom senso. Não precisa dizer que as meninas precisam de um "chão para varrer". Na certa, se você está ali também, é porque precisa de um chão para varrer como elas, né? Deixa cada uma perguntar o que quiser. Responde quem quer. E se o barraco cair, tenta segurar a casa com outras coisas... Acho imaturo certos posicionamentos. Não falo de opiniões. Posicionamentos. Resolver agredir, humilhar ou tacar mais fogo na confusão é desnecessário. Minha opinião! Quando surgir um assunto que doeu em vocês, como esse doeu em mim, escrevam no blog. Chamem as meninas para um diálogo! Mas cuidado para não ofender ninguém! Espero que eu tenha conseguido!

Agora respondendo aos comentários: 
@Lais Facion: obrigada pelo elogio! Educada, eu?? Imagina... rs
@Sandra Newman: te respondi, amiga? Era sobre boa educação! Você tem razão: não é só coisa de brasileiro... mas esse pensamento "vai... rapidinho... faz... ninguém tá olhando" é coisa do "jeitinho brazuca"... infelizmente. Mas como disse no meu texto ai: não generalizei o povo. Mas disse que: em terras alheias é feio, sim! Sobra para seus "pais"(o Brasil), quando a kid faz algo errado, sabe? Ninguém te deu educação?? Entende??
@Galera da fake ID: tá explicado!
@Lina Queiroz: Parabéns! Nem eu! :) Orgulho! E sim, tem gente que se esforça para ajudar a mudar o quadro, né?
@Matheus Cunha: Exato. Deixa quem quer, fazer o que quer! Mas e quem quiser falar, deixa também, né verdade?! Se não te importou como me importou, saibamos conviver com as diferenças! E como foi o show? Sempre quis ir em um show deles...
@Daiane Cristina: Pois é! Não achei q o post fosse causar tamanho "rebuliço". Gostei do que você disse lá. É bem verdade: machucar o próximo e ofender não levam a nada! 
@Carolina Rangel: certo! Super concordo! Acontece em todo lugar! Mas, como disse anteriormente, é muito provável que a pessoa julgue todo um povo pelo ato de alguém. Salvo, quando essa pessoa que julga tem alguma bagagem de estudo, uma mente aberta e tal. Mas é quase sempre a regra: somos considerados "farinha do mesmo saco". Ou você nunca ouviu "ahhh mas americano é isso..." ou "português é aquilo"... sim, um preconceito velho e bobo, mas que ainda se repete. 
@Sandra Martins: têm dias que dou o mesmo conselho... 21! 21!
@Luana Lazarini: pois é! Eu notei que no dia você falou que estava cansada e sem paciência e que, por isso, seu post estava "com palavrões" e tal... Te entendo... Sem grilo ou ofensas...pois bem, menina, eu acho que eu não falei que somos todos assim, né? Eu disse que a atitude "jeitinho brasileiro" é que foi ruim... expliquei ai no texto... concordo com você que nos desmerecer já é ruim. Eu sou só orgulho do nosso pais...[veja minha área de trabalho: PBSL] mas foi exatamente esse "jeitinho brasileiro" aprendido aqui, onde sabemos que quase tudo sai impune, que foi feito lá  fora.. costume de casa, me entende? Não generalizei, só apontei... Você está certíssima. Não gosto nem de pensar que há pessoas que nos generalizam... mas há! Uma pena! 

É isso! Se quiserem comentar, prometo que respondo no próximo post. Mas por favor, não transformem essa reflexão em nada demais! Estou chamando ao diálogo e respondi a maioria de vocês. Boa sorte para quem ainda está no inicio do processo, para quem já está vivendo o programa e para quem já está de volta ao Brasaaaa!! 

Um beijo, meninas. 

7 comentários:

Luana Lazarini disse...

Oi, Tarciana! Desculpe se pareceu ser pra você, mas não era! Pelo contrário, concordo com o que você disse!

É que gerou uma série de comentários embaixo do seu e eu explanei o que pensava..

Luana Lazarini disse...

Eu fico nervosa na verdade quando ouço brasileiros e, inclusive alguns morando no exterior dizendo "Ah, tinha que ser no Brasil mesmo!" ou "Isso é Brasil", sobre alguma coisa errada ou diminuindo nossa pátria. Eu acho que se OS BRASILEIROS pensam dessa forma, JÁ ESTÃO CONTRIBUINDO pra qualquer tipo de visão equivocada nossa ai fora. Ai quando eu disse que achava uma F%#$%#$ generalizar uma nação, foi pra algumas meninas que disseram isso e não você!!! Você eu entendi muito bem. Até falei pra um colega meu (que também postei no meu mural) que se então for o caso, todos nós somos corruptos, hipócritas, e de má conduta?
Coisas erradas acontecem aqui, no Japão, na Espanha, Bogotá, EUA, Dubai, enfim... O MUNDO INTEIRO tem pessoas que dão seus "jeitinhos" (eu diria que não é "jeitinho", e sim ÍNDOLE!).
E mais uma vez desculpe se pareceu ser voltado a você!

Tarciana disse...

Que nada, Luana!! Achei que era para mim não!! Eu te entendi!! :) Mas achei que valei aqui colocar exatamente o que você disse... achei legal!! :) E só para constar, disse que não era a minha intenção... Ei, vc tem blog, posso add vc na minha lista aqui: amigas au pairs!! Let me know... beijos

MatikO disse...

Adorei o texto e concordo com a maioria (se não todos) os pontos aqui defendidos.

Tarciana disse...

Valeu, Matiko! :)

Luana Lazarini disse...

Claro que pode :D Eu já te adicionei pra seguir, quero ler seus posts... adorei o jeito que escreve! hahaha

Meu blog terá mais emoção quando eu tiver embarcado.. tomara que eu tenha disposição pra escrever sempre :) beijo

Tati dos Anjos disse...

Concordo com tudo o q vc falou e não to querendo parecer certinha não, mas eu sempre respeito as regras, pelo menos procuro sempre respeitá-las.As pessoas(amigos,conhecidos, colegas) sempre falam pra mim, vc é louca? ninguém faz isso, mas eu não tô nem aí, eu gosto de ter a minha consciência limpa.. Bjs.. Vou seguir o blog!